Líderes indígenas da Amazônia pedem apoio ao Primeiro-ministro do Reino Unido

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.
© R Gauditano/ Survival

Líderes indígenas da Amazônia entregaram uma carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido pedindo ao governo de Boris Johnson que "fique do nosso lado na defesa da Amazônia para o benefício de toda a humanidade.”

Davi Yanomami, conhecido como o ‘Dalai Lama da Floresta’, seu filho Dário Yanomami, o renomado líder Kayapó Raoni Metuktire, Megaron Txucarramãe e Bepro Metuktire fizeram um apelo urgente ao Primeiro-ministro britânico para “que garanta que nenhuma quantidade de ouro, outros minerais ou produtos agrícolas de nossas terras cheguem ao Reino Unido.”

Em dezembro, Davi Yanomami recebeu o prêmio Right Livelihood Award de 2019, o “Nobel Alternativo”. Davi liderou por 20 anos a campanha de seu povo pela demarcação de sua terra que forma hoje, junto do território Yanomami da Venezuela, a maior área de floresta tropical protegida por indígenas em todo o mundo.

Há duas semanas, Raoni Metuktire presidiu o Encontro dos Povos Mebengokrê e Lideranças Indígenas, que contou com a presença de mais de 500 lideranças indígenas e visou unir forças diante dos frequentes ataques do Presidente Bolsonaro. Nesse encontro, os indígenas publicaram um manifesto em que declaram “a retomada da Aliança dos Povos das Florestas”, afirmando que juntos estarão “defendendo a proteção dos nossos territórios”, pois “essa luta não é apenas dos povos indígenas, mas de todos nós, é uma luta pela vida no planeta.”

Os líderes indígenas conhecidos internacionalmente, Davi Yanomami e Raoni Metuktire.

Os líderes indígenas conhecidos internacionalmente, Davi Yanomami e Raoni Metuktire.
© R Gauditano/ Survival

Na carta conjunta dos líderes, eles pedem ao governo do Reino Unido que use a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26) que ocorrerá em novembro na Escócia “para colocar os povos indígenas no centro do debate e reconhecer o nosso papel fundamental na proteção de algumas das regiões mais biodiversas e ameaçadas do mundo, para o bem da humanidade.”

Eles também denunciam o plano do Presidente Bolsonaro de abrir os territórios indígenas a atividades de mineração em pequena e grande escala.

Davi Yanomami e Dário Yanomami em frente a casa do Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Davi Yanomami e Dário Yanomami em frente a casa do Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.
© R Gauditano/ Survival

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.
© R Gauditano/ Survival

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.
© R Gauditano/ Survival

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Raoni Metuktire, Davi Yanomami, Megaron Txucarramãe e Dário Yanomami entregam carta ao Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.
© R Gauditano/ Survival