Os Bosquímanos

O governo de Botsuana nega o acesso à água para os Bosquímanos

O governo de Botsuana tem proibido os Bosquímanos da Reserva de Caça
do Kalahari Central de acessar um poço do qual eles dependem para obter água.

Sem água, eles lutam para sobreviver em suas terras.

Mobilize-se agora ↓   Faça uma doação →

Existem cerca de 100.000 Bosquímanos em Botsuana, Namibia, África do Sul e Angola. Eles são indígenas do sul da África e têm habitado a região por dezenas de milhares de anos.

Na região central de Botsuana encontra-se a Reserva de Caça do Kalahari Central, uma reserva criada para proteger o território tradicional dos 5.000 Bosquímanos Gana, Gwi e Tsila (e seus vizinhos os Bakgalagadi), e a caça da qual dependem para sua sobrevivência.

No início da década de 1980, diamantes foram descobertos na reserva. Logo depois, oficiais do governo entraram na reserva para notificar os Bosquímanos de que eles teriam que deixar a área por causa dos diamantes.

Em três grandes despejos, em 1997, 2002 e 2005, praticamente todos os Bosquímanos foram expulsos da região. Suas casas e seu poço de água foram destruídos, sua escola e posto de saúde foram fechados, e as pessoas foram ameaçadas e transportadas em caminhões.

Os Bosquímanos agora vivem em campos de reassentamento fora da reserva onde raramente conseguem caçar – quando o fazem, são presos e espancados. Por isso, agora eles são dependentes dos incentivos do governo, sofrem com o alcoolismo, o tédio, a depressão e com doenças como a tuberculose e o HIV/AIDS.

Meninos Bosquímanos brincando, Kaudwane.
Meninos Bosquímanos brincando, Kaudwane.
© Survival

A menos que eles possam retornar às suas terras ancestrais, suas sociedades e modos de vida serão destruídos, e muitos deles morrerão.

Embora os Bosquímanos tenham ganhado na justiça o direito de voltar às suas terras em 2006, o governo tem feito todo o possível para impossibilitar o seu retorno, inclusive proibindo-os de acessar um poço de água que utilizavam antes de serem despejados. Sem o poço, os Bosquímanos dificilmente encontram água suficiente para sobreviver em suas terras.

Em uma tentativa de ganhar acesso ao seu poço, eles entraram com um novo processo judicial contra o governo. Uma audiência foi realizada em junho de 2010, mas o juiz rejeitou o pedido dos Bosquímanos.

Ao mesmo tempo em que o governo impede os Bosquímanos de terem acesso à água, ele tem perfurado novos poços para os animais selvagens e permitiu que a empresa Wilderness Safaris construísse um alojamento turístico na reserva.

Homem Bosquímano.
Homem Bosquímano.
© Survival

O Kalahari Plains Camp foi inaugurado depois que a Wilderness Safaris firmou um contrato de arrendamento com o governo de Botsuana. No entanto, o contrato não levou em consideração os direitos dos Bosquímanos em cujas terras ancestrais o alojamento foi construído sem que os indígenas fossem consultados sobre o empreendimento.

Enquanto os Bosquímanos dificilmente encontram água suficiente para sobreviver em suas terras, os hóspedes podem saborear cocktails na piscina do alojamento.

Além disso, o governo:

  • tem recusado a emissão de licenças para a caça em suas terras (apesar da decisão do Supremo Tribunal de Botsuana que afirmou que a recusa do governo de emitir autorizações era ilegal),
  • prendeu mais de 50 Bosquímanos por caçar para alimentar suas famílias,
  • tem impedido os Bosquímanos de trazer seus pequenos rebanhos de cabras de volta para a reserva.

Sua postura política é, claramente, intimidar e assustar os Bosquímanos para que permaneçam nos campos de reassentamento, e tornar impossível a vida dos que voltaram à sua terra ancestral.

Mobilize-se agora para ajudar os Bosquímanos