Raya, homem Nahua. Mais de 50% da sua tribo morreu depois da abertura da sua terra para a exploração de óleo

Raya, homem Nahua. Mais de 50% da sua tribo morreu depois da abertura da sua terra para a exploração de óleo
© Johan Wildhagen

Índios isolados no sudeste do Peru estão sendo ‘subornados’ com analgésicos e canetas, enquanto gigantes de gás procuram penetrar nas suas terras, para explorar gás.

A Survival International teve conhecimento de que até alguns membros da INDEPA – a agência governamental criada para proteger as tribos do Peru – têm pressionado as comunidades, para que a pesquisa possa acontecer na reserva onde elas vivem.

Trabalhadores da gigante de gás argentina, Pluspetrol, entraram na reserva Kugapakori-Nahua para iniciarem testes ambientais sobre a viabilidade de explorarem os recursos da terra. Essa reserva foi criada em 1990 para proteger os direitos territoriais de tribos vulneráveis.

Enrique Dixpopidiba Shocoroa, líder Nahua, declarou que tem sido oferecido, à sua tribo, equipamento médico, material de papelaria e promessas de trabalho temporário.

Estes desenvolvimentos preocupantes estão acontecendo no momento em que o Presidente do Peru, Ollanta Humala, aprova uma lei histórica, que visa garantir o direito dos povos indígenas a serem consultados previamente sobre quaisquer projetos que possam afetá-los ou afetar as suas terras.

Porém, cerca de 15 tribos optaram por resistir ao contato na Amazônia Peruana, e algumas estão dentro da reserva. Todas enfrentam perigo de extinção caso as suas terras sejam liberadas.

O Diretor da Survival International, Stephen Corry, afirmou, ‘A exploração de petróleo e de gás nas reservas de tribos isoladas faz escárnio da nova lei do Peru. Ademais, arrisca colocar em xeque a promessa do governo de proteger as tribos isoladas, que são especialmente vulneráveis’.

Metade do povo Nahua morreu logo após a sua terra ter sido liberada para a Shell para a exploração de óleo, na década de 1980. Hoje, tribos isoladas que ainda vivem na região correm o risco de sucumbir a doenças trazidas pelos invasores.