Povos isolados

Em risco de extinção devido a doenças e a perda de suas terras.

Nas áreas mais remotas da Amazônia peruana vivem povos que não têm contato com o mundo exterior.

Madeireiros ilegais e petroleiras estão invadindo suas terras e trazendo doenças.

Eles não sobreviverão, a menos que isso pare.

Mobilize-se agoraFaça uma doação

A Survival estima que existam 20 povos indígenas isolados no Peru. Todos vivem nas mais remotas regiões da floresta amazônica.

Eles incluem os Kakataibo, Isconahua, Matsigenka, Mashco-Piro, Mastanahua, Murunahua (ou Chitonahua), Nanti e Yora.

Ameaças múltiplas

Todos esses povos enfrentam ameaças terríveis – às suas terras, aos meios de subsistência e, finalmente, às suas vidas. Se nada for feito, é provável que eles desapareçam totalmente.

Povos indígenas isolados são extremamente vulneráveis a qualquer tipo de contato com invasores, pois eles não possuem imunidade contra doenças comuns como a gripe.

Leis internacionais reconhecem o direito dos indígenas à terra, e também reconhecem o seu direito de viver em suas terras da maneira que desejarem.

Após o primeiro contato, é comum que mais de 50% dos indígenas de um povo morra. Às vezes, todo o grupo perece.

Essas leis não estão sendo respeitadas pelo governo peruano e pelas empresas que estão invadindo as terras indígenas.

Isolados por uma boa razão

Tudo o que sabemos sobre os povos indígenas isolados deixa claro que eles querem manter seu isolamento.

Nas raras ocasiões em que eles são vistos ou encontrados, eles mostram que preferem o isolamento.

Às vezes, eles reagem de forma agressiva para defender seu território ou deixam sinais na floresta alertando que não querem contato.

No passado, os indígenas foram vítimas de violência e doenças trazidas por pessoas de fora. Para muitos, este sofrimento continua até hoje. Eles têm bons motivos para não querer contato.

Um Primeiro Contato Trágico

Jorge, homem Murunahua que perdeu seu olho quando foi baleado por madeireiros durante o primeiro contato, relembra a tragédia que seguiu.

Como podemos ajudar?

A Survival está urgindo para que o governo peruano proteja os povos isolados, não permitindo que qualquer exploração de petróleo, extração de madeira ou outra forma de extração de recursos naturais ocorra em suas terras.

O governo deve reconhecer os indígenas como os proprietários de suas terras.

Depois de uma campanha da Survival na década de 1990, em colaboração com a organização indígena peruana FENAMAD, a companhia petrolífera Mobil foi retirada de uma área habitada por povos isolados no sudeste do Peru.

Ajude-nos a lutar pelos direitos dos povos mais vulneráveis do mundo.

Ameaças

As maiores ameaças aos indígenas isolados no Peru são os madeireiros ilegais e as empresas petroleiras.

Mais de 70% da Amazônia peruana foi concedida pelo governo a companhias de petróleo, incluindo muitas regiões habitadas por povos indígenas isolados.

A exploração de petróleo é particularmente perigosa para esses indígenas porque facilita o acesso a áreas anteriormente remotas para invasores, tais como madeireiros ilegais. Eles passam a utilizar as estradas e caminhos abertos na floresta pelas companhias de exploração de petróleo.

Meu povo, todos morreram. Seus olhos começaram a doer, eles começaram a tossir, ficaram doentes e morreram ali mesmo na floresta.Uma mulher Nahua descreve o contato.

Shell e a tragédia Nahua

No passado, a exploração do petróleo levou a violentos e desastrosos contatos com indígenas isolados.

No início da década de 1980, a exploração conduzida pela Shell levou ao contato com o povo indígena isolado Nahua. Em poucos anos, mais de 50% dos Nahua morreram.

Várias companhias de petróleo estão agora trabalhando em áreas onde vivem indígenas isolados, incluindo os territórios dos povos Kakataibo e Nanti.

Essas empresas são: Perenco, que adquiriu a Barrett Resources, Repsol-YPF e Petrolífera.

Enquanto isso, o Peru descreve sua política para as empresas internacionais como ‘portas abertas’. O governo está incentivando ativamente novas empresas a explorarem áreas habitadas por povos indígenas isolados, incluindo as dos Mashco-Piro e Isconahua.

Mogno: ‘Ouro Vermelho’

Uma outra ameaça significativa aos indígenas isolados é a atividade de madeireiros ilegais, muitos deles à procura de mogno. Conhecido como ‘ouro vermelho’, o mogno apresenta um preço elevado no mercado global.

A floresta peruana contém parte das últimas reservas de mogno comercialmente viáveis no mundo, o que tem provocado uma ‘febre do ouro vermelho’.

Tragicamente, estas são as mesmas regiões onde os indígenas isolados vivem, o que significa que os madeireiros invadem seus territórios e o contato é quase inevitável.

Em 1996, madeireiros ilegais forçaram contato com os indígenas Murunahua. Nos anos seguintes, mais de 50% deles morreram, principalmente em decorrência de resfriados, gripes e outras infecções respiratórias.

Madeireiros também têm forçado indígenas de um povo isolado a fugir pela fronteira do Peru para o Brasil.

Evidências

Uma vasta quantidade de evidências, incluindo imagens de vídeo, material de áudio, fotografias, objetos, depoimentos e entrevistas, foram coletados ao longo dos anos.

Por exemplo, em 18 de setembro de 2007 um avião fretado pela Sociedade Zoológica de Frankfurt em busca de madeireiros ilegais voou sobre uma parte remota da floresta tropical no sudeste do Peru.

Por acaso, depararam-se com um grupo de vinte e um indígenas, provavelmente do povo Mashco-Piro, em um acampamento de pesca temporária na margem do rio.

Seis semanas após o avistamento, o presidente do Peru, Alan Garcia, escreveu em um artigo de jornal afirmando que os indígenas isolados eram ‘criação dos ambientalistas’ que se opõem à exploração de petróleo.

A Evidência

O governo peruano nega a existência de tribos isoladas, mas a evidência é clara. Neste vídeo, Teodoro, um homem local, descreve o seu encontro com uma tribo isolada.

Estilo de vida

Quase todos os indígenas isolados são nômades, que atravessam a floresta de acordo com as estações do ano em pequenos grupos familiares.

Na estação chuvosa, quando os níveis de água são elevados, os povos, que geralmente não usam canoas, vivem longe dos rios, floresta a dentro.

Durante a estação seca, no entanto, quando os níveis de água são baixos e praias surgem na beira dos rios, eles acampam nas praias e pescam.

Os ovos de tartaruga

A estação seca é também o momento do ano em que as tartarugas do rio aparecem nas praias para colocar seus ovos, enterrando-os na areia.

Os ovos são uma importante fonte de proteína para os indígenas, e eles são especialistas em encontrá-los e desenterrá-los.

A presença dos indígenas isolados nas praias significa que existe uma probabilidade maior deles serem vistos nesta época do ano por madeireiros, outros invasores ou grupos vizinhos de indígenas contatados.

Além de ovos de tartaruga, os indígenas isolados se alimentam de uma variedade de carne, peixe, banana, nozes, frutas silvestres, raízes e larvas. Animais caçados incluem macaco anta, queixada e veado.

Encontros com uma tribo isolada

Dois peruanos relatam como avistaram uma tribo isolada.

Mobilize-se agora para ajudar Povos isolados

Por favor, aja agora pelos povos mais vulneráveis ​​do planeta. Envie um e-mail ao governo peruano exigindo que essas terras indígenas sejam finalmente demarcadas e permanentemente protegidas, e pedindo a expulsão das empresas extrativas desse territórios.