Potes de cerâmica encontrados na reserva Isconahua são provas da presença desses índios isolados.

Potes de cerâmica encontrados na reserva Isconahua são provas da presença desses índios isolados.
© Pepe Villacorta / ProNaturaleza

Indígenas peruanos foram obrigados a montar um posto de guarda para proteger uma reserva de índios isolados, depois que as autoridades ignoraram seus pedidos repetidos para que uma ação fosse tomada.

A reserva Isconahua na fronteira Peru-Brasil foi criada com o apoio da organização indígena amazônica do Peru, AIDESEP, para proteger os índios isolados Isconahua que vivem na floresta.

Mas a reserva foi invadida por madeireiros ilegais, e numerosos apelos feitos para as autoridades foram ignorados.

Agora, as organizações indígenas locais ORAU e FECONAU se uniram para criar um posto de guarda para proteger a reserva.

A exploração de madeira ilegal está fora de controle no Peru, e constitui uma séria ameaça à sobrevivência de cerca de 15 grupos de índios isolados no país. Voos sobre a Amazônia documentaram acampamentos ilegais de madeireiros que estão forçando os índios a fugir para territórios desconhecidos.

Survival International já recolheu quase 100.000 assinaturas pedindo ao presidente Alan García para pôr um fim à exploração ilegal de madeira e para salvaguardar as terras indígenas.

Este mês, ORAU divulgou um comunicado pedindo ao Departamento de Assuntos Indígenas do governo, INDEPA, para que junte seus esforços para proteger as reservas.

O diretor da Survival, Stephen Corry, disse hoje, ‘Que as organizações indígenas locais tenham que proteger as reservas de índios isolados é uma crítica devastadora da inação do governo. Ver e ignorar o problema parece ser a tática preferencial do governo.’