Presidente Bolsonaro “declara guerra” contra os povos indígenas do Brasil – A Survival responde

Manifestação indígena em Brasília, abril de 2018

Manifestação indígena em Brasília, abril de 2018

Jair Bolsonaro começou o seu mandato na presidência da pior maneira possível para os povos indígenas do Brasil: Retirando a competência da demarcação das terras indígenas da FUNAI, a Fundação Nacional do Índio, e entregando-a ao Ministério da Agricultura, sendo virtualmente uma declaração de guerra contra os indígenas.

Tereza Cristina, a nova Ministra da Agricultura, tem uma longa história de oposição aos direitos territoriais dos povos indígenas e apoia a expansão da agropecuária nas suas terras. Isto é um ataque aos direitos, vida e meios de subsistência dos primeiros povos do Brasil – se a sua terra não é protegida, eles enfrentam o genocídio e povos indígenas isolados podem ser dizimados.

Este ataque aos primeiros habitantes do Brasil ataca o coração e a alma da nação brasileira.

O roubo de territórios indígenas também prepara o cenário para uma catástrofe ambiental. Os povos indígenas são os melhores conservacionistas e guardiões do mundo natural e as evidências provam que eles cuidam de seu meio ambiente melhor do que ninguém.

Os povos indígenas estão resistindo. Os Aruak, Baniwa e Apurinã afirmaram: “Não queremos ser dizimados por meios de novas ações de governo e do Estado Nacional Brasileiro. As terras indígenas têm um papel muito importante para a manutenção da riqueza da biodiversidade. Somos pessoas, seres humanos, senhor presidente. Nascemos, crescemos… e morremos na nossa terra sagrada, como qualquer ser humano vivente sobre esta terra. Estamos prontos para o diálogo, mas também estamos preparados para nos defender.”

Sonia Guajajara, uma liderança indígena nacional, disse: “Vamos resistir. Se somos os primeiros a sermos atacados, seremos os primeiros a reagir.”

A APIB, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, declarou: “Temos o direito de existir! Não vamos recuar. Não vamos hesitar em denunciar esse governo e o agronegócio nos quatro cantos do mundo.”

A Survival International trabalha em solidariedade com os povos indígenas do Brasil há 50 anos – pela sua sobrevivência, pela proteção dos territórios mais biodiversos do país, pela saúde de nosso planeta e por toda a humanidade. Continuaremos lutando energicamente para que as suas vidas e terras sejam respeitadas e defendidas.

Survival International
O movimento global pelos direitos dos povos indígenas