Tribo 'Avatar' rejeita gigante empresa mineradora britânica

Os Dongria Kondh têm rejeitado de forma esmagadora a mina da Vedanta em suas colinas sagradas.

Os Dongria Kondh têm rejeitado de forma esmagadora a mina da Vedanta em suas colinas sagradas.

© Jason Taylor/Survival

A tribo indiana dos Dongria Kondh tem rejeitado de forma esmagadora os planos de uma notória mineradora de grande porte britânica, Vedanta Resources, de uma mina de bauxita a céu aberto nas sagradas colinas de Niyamgiri, em um triunfo sem precedentes para os direitos tribais.

Doze aldeias Dongria votaram de forma unânime contra a mina da Vedanta durante as consultas ordenadas pela Corte Suprema da Índia em abril de 2013, uma vez que os seus direitos religiosos, culturais e sociais estariam em perigo com o avanço da mineradora.

Um líder Dongria, Lodu Sikaka, disse, ‘O nosso Deus vive a céu aberto; vocês mantêm o Deus de vocês trancado com uma chave. Nós não abandonaremos Niyamgiri. Se o governo e os políticos nos mandarem fazer isso, nós lutaremos.’

A mina destruiria as florestas e obstruiria os rios das colinas Niyamgiri, que são vitais para o sustento e identidade dos 8.000 membros da tribo, que têm a sua luta comparada ao sucesso cinematográfico, ‘Avatar’. A mina eliminaria a existencia dos Dongria como um povo autossuficiente.

Os Dongria votaram por unanimidade contra a mina da Vedanta durante doze consultas.

Os Dongria votaram por unanimidade contra a mina da Vedanta durante doze consultas.
© Survival

Os Dongria foram elogiados por sua determinação resiliente para salvar as suas colinas face às intimidações e perseguição pela polícia paramilitar em sua terra, e as repetidas afirmações da Vedanta Resources de que os Dongria apoiam a mina. Durante a sua luta em defesa de Niyamgiri, líderes Dongria foram presos e torturados. Porém, eles se mantêm fortes em sua resistência.

Os resultados das consultas serão agora levados em consideração pelo Ministério de Meio Ambiente e Florestas da Índia, que terá a palavra final sobre a mina – mas poucos ainda acreditam que à mina será dado sinal verde.

A esmagadora rejeição por parte dos Dongria Kondh foi um golpe fatal para os planos da Vedanta no estado de Odisha e contradiz as afirmações feitas pela companhia, como, ‘Temos a sincera convicção, baseado nas nossas extensivas consultas, que a vasta maioria da população local, incluindo vários povos indígenas, a população de Orissa e outras partes interessadas saúdam a instalação do nosso projeto.’

A experiência da Vedanta deve servir como uma importante lição para companhias que desejam extrair recursos de terras de povos indígenas: eles devem buscar o consentimento livre, prévio e informado das comunidades, e não procederem sem o mesmo.

A luta dos Dongria tem sido comparada à mesma dos Na’vi do sucesso de Hollywood, Avatar.

A luta dos Dongria tem sido comparada à mesma dos Na’vi do sucesso de Hollywood, Avatar.

© Survival

A Survival International e os seus apoiadores têm apoiado a luta dos Dongria realizando protestos, enviando milhares de cartas ao governo indiano, recrutando o apoio de celebridades como Joanna Lumley e Michael Palin, e pondo na atenção mundial a luta da tribo. O tratamento dado aos Dongria pela Vedanta foi desaprovado pelo governo britânico, entre outros, e vários acionistas como a Igreja da Inglaterra retiraram-se por razões éticas.

O diretor da Survival, Stephen Corry, disse hoje, ‘A Vedanta tem afirmado, ainda que as evidências mostrem o contrário, que os povos indígenas estavam a favor da mina. Os Dongria mostraram claramente que isso não é verdade. A Vedanta necessita mudar radicalmente a forma em que faz negócios. Se o governo indiano não acabar com esse projeto de uma vez por todas, isso será uma negação transparente de justiça e direitos humanos.’