Índia: estrada ilegal de 'safaris humanos' permanece aberta 10 anos depois

Estrada ilegal de ‘safaris humanos’ na Índia permanece aberta 10 anos após uma ordem para fechá-la.

Estrada ilegal de ‘safaris humanos’ na Índia permanece aberta 10 anos após uma ordem para fechá-la.
© G Chamberlain/ Survival

Uma estrada no centro de um escândalo envolvendo a prática de ’safaris humanos’ nas Ilhas Andaman ainda está aberta, exatamente dez anos após a Suprema Corte da Índia ordenar o seu fechamento.
 


A estrada ‘Andaman Trunk Road’ (ATR) corta a reserva da tribo Jarawa, e foi condenada internacionalmente por facilitar a sua exploração.


A prática de ‘safaris humanos’, em que prometem aos turistas a chance de ‘encontrar’ os Jarawa como se fossem animais em um parque, foi exposta pela primeira vez pela Survival International em 2010.


Os resultados revelaram como biscoitos e doces foram atirados de veículos na estrada para atrair os Jarawa.



Desde então, o jornal britânico The Observer revelou como turistas e policiais foram vistos ao entrar na reserva para ver e filmar a tribo.

Os turistas foram instados a boicotar a estrada e parar de explorar a tribo Jarawa.

Os turistas foram instados a boicotar a estrada e parar de explorar a tribo Jarawa.

© Survival


A Suprema Corte da Índia ordenou que a administração Andaman fechasse a ATR em maio de 2002. As autoridades das ilhas se recusaram.



Uma pesquisadora de campanhas da Survival, Sophie Grig, viajou para as Ilhas Andaman para pedir o fechamento da estrada, e o estabelecimento de uma rota alternativa.



O diretor da Survival, Stephen Corry, disse hoje, ‘As autoridades das Ilhas Andaman podem estar colocando em vigor medidas para tentar controlar o uso da estrada, mas é claro que estas medidas não estão chegando à raiz do problema. O fato é que 250 veículos continuam entrando na reserva diariamente. A única maneira de garantir a liberdade dos Jarawa para escolher seu próprio modo de vida é fechando esta estrada ilegal.’