Envolvimento policial com ‘safaris humanos’ é exposto na Índia

Um turista filma indígenas Jarawa na Andaman Trunk Road.

Um turista filma indígenas Jarawa na Andaman Trunk Road.

© Survival

O jornal britânico The Observer revelou evidências do envolvimento de policiais em ‘safaris humanos’ nas Ilhas Andamão, na Índia.

O escândalo, que foi primeiramente denunciado pela Survival International em 2010, envolve turistas usando uma estrada ilegal para entrar na reserva da tribo Jarawa. Agências de turismo e motoristas de táxi ‘atraem’ os Jarawa com biscoitos e guloseimas.

O jornal The Observer teve acesso a um vídeo mostrando um grupo de mulheres Jarawa sendo orientadas a dançar para turistas por um oficial de polícia, que teria aceitado um suborno de 550 reais para levá-los até o interior da reserva.

Um turista descreveu uma viagem similar: “A viagem através da reserva tribal foi como um passeio em um safari, uma vez que nos encontrávamos em um ambiente de densa floresta tropical, procurando por animais selvagens, nesse caso, indígenas Jarawa”.

Há poucas semanas, a administração das Ilhas, mais uma vez, descartou fechar a estrada, conhecida como a Andaman Trunk Road. Porém, revelou pela primeira vez que planeja abrir uma rota alternativa por mar, e assim, contornar a maior parte da reserva Jarawa.

A Survival International tem pedido aos turistas para que boicotem a estrada, da qual o Supremo Tribunal da Índia ordenou o fechamento em 2002. Em trabalho conjunto com uma organização local, SEARCH, a Survival tem distribuído panfletos a turistas que chegam pelo aeroporto das Ilhas Andamão, alertando-os sobre os perigos de usar tal estrada.

O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse hoje, “Esse caso cheira a colonialismo e os repugnantes e degradantes ‘zoológicos humanos’ do passado. Fica então claro que as atitudes de algumas pessoas em relação aos povos indígenas não mudaram. Os Jarawa não são animais de circo que devem entreter um público”.