União Europeia suspende financiamento de projeto do WWF após abusos de direitos humanos

Menino Baka, Congo.

Menino Baka, Congo.
© Fiore Longo/Survival

União Europeia irá rever apoio do WWF a outros parques na Bacia do Congo após lobby da Survival

A União Europeia suspendeu o financiamento de um projeto controverso do WWF que visava criar uma área protegida na Bacia do Congo, depois de várias investigações confirmarem um padrão persistente de abusos contra o povo Baka que vive nessa área.

Os Baka sofreram espancamentos, tortura, abuso sexual, prisões e foram até mesmo assassinados por guardas florestais financiados e apoiados pelo WWF.

O WWF trabalha na Bacia do Congo há mais de 20 anos, apoiando guardas florestais que cometeram violentos abusos contra indígenas.

O WWF trabalha na Bacia do Congo há mais de 20 anos, apoiando guardas florestais que cometeram violentos abusos contra indígenas.
© WWF

A Survival se reuniu com a equipe da Comissão Europeia responsável pelo projeto Messok Dja em fevereiro de 2020 e enfatizou que o mesmo nunca teve o consentimento da população local e, portanto, viola as diretrizes da comissão.

A suspensão sem precedentes do apoio da União Europeia ao projeto é uma grande vitória da luta dos Baka e dos apoiadores da Survival, que fizeram campanha junto deles para que o projeto fosse abandonado.

Um homem local segura uma placa dizendo "Não ao parque Messok Dja".

Um homem local segura uma placa dizendo “Não ao parque Messok Dja”.
© Survival

Fiore Longo da Survival, coordenadora da campanha #DescolonizeAConservação, disse hoje: “Os Baka vivem nesta terra desde tempos imemoriais. Eles nunca consentiram em conceder sua terra para o projeto do WWF, mas foram excluídos dela e intimidados por anos.”

“Esse projeto já começou a destruir suas comunidades e modo de vida. Isso significa que é tarde demais para obter seu consentimento prévio, o que torna impossível a continuação e financiamento do projeto sem violar as diretrizes da Comissão Europeia e as normas e políticas de direitos humanos da ONU.”

Indígenas do povo Baka, área do Messok Dja.

Indígenas do povo Baka, área do Messok Dja.
© Survival International

“Estamos muito satisfeitos pela União Europeia ter finalmente reconhecido as falhas graves desse terrível projeto. Eles agora devem descarta-lo completamente. Era um projeto colonial de conservação ambiental do pior tipo, que queria roubar a terra dos Baka, despejando-se e tornando a vida deles uma miséria. As florestas da Bacia do Congo somente serão protegidas quando os Baka forem ouvidos e estiverem no cerne do trabalho de proteção ambiental, e não quando uma organização se comporta como um império colonial do século XIX.”

“Por 100 anos, a conservação ambiental na África foi imposta à população local por europeus arrogantes que achavam que sabiam como cuidar melhor da natureza. Isso sempre foi uma falácia, mas só agora, através da intensa pressão de uma campanha pública, está começando a ser reconhecida e, esperamos que seja resolvida. Desejamos que esta decisão abra um precedente para os incontáveis projetos similares que organizações de conservação ambiental ocidentais querem impor às comunidades locais. ”