Os Yanomami do Brasil vêm protestando há anos, contra os impactos devastadores do garimpo.

Os Yanomami do Brasil vêm protestando há anos, contra os impactos devastadores do garimpo.
© Hutukara/ Survival

Um ano de investigação sobre as atividades criminosas no território dos Yanomami, no Brasil, levou à prisão de 26 garimpeiros.

Ouro, lanchas voadeiras, equipamento de prospeção, armas de fogo e diversas aeronaves foram apreendidos.

A polícia descobriu cinco grupos criminosos que estariam mantendo os garimpos. Alguns dos envolvidos eram pilotos locais, negociantes e joalheiros.

Um grupo de garimpeiros operava nas imediações de uma comunidade Yanomami isolada.

Um porta-voz da Fundação Nacional do Índio declarou a um jornal local que ‘Devido a pressão garimpeira, existe risco de genocídio. Já temos informações de confronto entre índios e garimpeiros’.

Os Yanomami vêm protestando, há vários anos, contra os efeitos devastadores que o garimpo tem sobre as suas comunidades.

As perfurações têm destruído os leitos dos rios e o mercúrio utilizado na separação do ouro tem contaminado o peixe e a água potável.

Os garimpeiros têm trazido doenças para as quais as muitas comunidades remotas têm pouca ou nenhuma imunidade e têm também atacado alguns Yanomami.

Operações anteriores no território não têm conseguido terminar com o garimpo ilegal. Desta vez, um porta-voz da Polícia Federal afirmou que ‘O foco da operação é atingir o motor econômico do garimpo’.