Crianças Yanomami severamente desnutridas, na região de Surucucus.

Crianças Yanomami severamente desnutridas, na região de Surucucus. © URIHI – Associação Yanomami

Um novo estudo elaborado pela Agência Pública revelou a extensão da crise de saúde no território Yanomami causada pela invasão intensa de garimpeiros ilegais.

- Crianças Yanomami estão morrendo de desnutrição 191 vezes mais do que a média nacional.

- Crianças Yanomami menores de cinco anos morrem de doenças evitáveis 13 vezes mais do que a média nacional.

Outros dados publicados recentemente enfatizam a dimensão da emergência que aflige os Yanomami.

- Um estudo da Unicef e Fiocruz revelou que oito em cada dez crianças Yanomami menores de cinco anos das regiões de Auaris e Maturacá sofrem de desnutrição crônica.

- Novas fotos divulgadas pela organização de saúde Yanomami Urihi mostram crianças e adultos severamente desnutridos em aldeias da região de Surucucus. Há apenas duas semanas, garimpeiros atacaram e destruíram um posto de saúde. O posto já havia sido desativado em setembro de 2021 devido a ameaças de garimpeiros a profissionais da saúde.

Mulher Yanomami severamente desnutrida, na região de Surucucus.

Mulher Yanomami severamente desnutrida, na região de Surucucus. © URIHI – Associação Yanomami

Junior Hekuari Yanomami, presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Yek’wana (Condisi-YY), disse que esta é uma “crise humanitária”: “Tem muitos Yanomami que morreram nas comunidades. Eu vi o povo Yanomami morrendo. Eu clamei, eu pedi socorro para o MPF, levamos à imprensa, isso é muito importante”.

Fiona Watson, diretora de pesquisa e campanhas da Survival International, que trabalha com os Yanomami há mais de 30 anos, disse hoje: “É impossível exagerar o quão sem precedentes e terrível é a situação no território Yanomami nesse momento.”

“Em circunstâncias normais, os Yanomami raramente sofrem de desnutrição. Suas florestas são abundantes; eles são especialistas em cultivar, coletar e caçar tudo o que precisam e possuem excelente saúde.”

“Esta é uma crise deliberada e encorajada pelo presidente Bolsonaro, que incentivou a invasão em massa e a destruição das terras dos Yanomami. Seus rios e peixes agora estão poluídos com tóxicos níveis de mercúrio, o crime organizado controla o acesso a muitas das comunidades, os Yanomami estão sendo atacados, estuprados e mortos, e seus filhos estão literalmente morrendo de fome.”

“É absolutamente urgente que, assim que assumir o cargo, Lula aja imediatamente para evitar que os Yanomami sejam exterminados. Ele precisa enviar equipes de saúde de emergência e retirar os garimpeiros ilegais. E é preciso proteger o território de forma permanente para que eles não voltem. É um caso de extrema urgência.”

Nota aos editores:

1. Os dados obtidos pela Agência Pública podem ser consultados neste link.

2. Garimpeiros ilegais também foram vistos muito perto de uma comunidade de indígenas isolados Yanomami, e uma estrada de 150 km usada para a atividade ilegal foi descoberta recentemente.

Compartilhe

  • Facebook
  • WhatsApp
  • Copy