Marcelo Xavier saindo de reunião em Madri após protestos.

Marcelo Xavier saindo de reunião em Madri após protestos. © Divulgação

O presidente da FUNAI, Marcelo Xavier, se retirou de uma conferência em Madri esta manhã após um membro da plateia denunciar suas políticas anti-indígenas. Xavier participava de uma conferência intergovernamental na capital espanhola.

Desde que foi nomeado, Xavier implementou uma série de medidas anti-indígenas, apesar do papel da FUNAI ser defender e proteger os direitos dos povos indígenas do Brasil. Entre diversos ataques, ele promoveu o roubo de territórios indígenas para o agronegócio e impulsionou ações que podem dizimar povos indígenas isolados.

Na reunião, Ricardo Rao, ex-funcionário da FUNAI, denunciou Xavier como “assassino”, “miliciano”, “indigno de estar entre vocês” e “amigo de um governo golpista que ameaça a democracia no Brasil”.

Desde o assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips, em junho, organizações indígenas e indigenistas, como a APIB, a COIAB e o Opi, aumentaram a pressão pela remoção de Xavier do cargo. Deputados e senadores também fizeram requerimentos pedindo o mesmo, e servidores da FUNAI estão em greve exigindo que Xavier seja removido do cargo – 40 das 52 unidades da FUNAI organizaram protestos.

A Survival International, juntamente de outras organizações, está organizando uma manifestação contra as políticas genocidas de Marcelo Xavier e do presidente Jair Bolsonaro em frente ao Ministério das Relações Exteriores em Madri, nesta noite de 21 de julho, às 19h (horário local, 14h horário de Brasília).

Nota aos editores

- Mais informações, imagens e entrevistas com especialistas em direitos indígenas estão disponíveis mediante contato.

Compartilhe

  • Facebook
  • WhatsApp
  • Copy