As renas são um animal central na vida e cultura dos povos indígenas que habitam a região do subártico

As renas são um animal central na vida e cultura dos povos indígenas que habitam a região do subártico
© Joelle Taillon/Survival

O maior rebanho de renas do mundo diminuiu de tamanho e os indígenas locais põem a culpa na propagação dos massivos projetos industriais na área.

O rebanho de George River, que antes já foi contabilizado em 8-900.000 animais, hoje tem somente 74.000, uma queda de até 92%.

O rebanho vagueia na vasta tundra do Quebec e do Labrador, no leste do Canadá. Conhecido como caribou na América do Norte, os animais são parte central da cultura dos povos Cree e Innu que habitam tal região.

Contudo, em décadas recentes, grandes partes da terra onde o rebanho vagueia foram afetadas por uma série de grandes projetos. De acordo com o povo Innu, a extração de minério de ferro, as inundações de vastas áreas para hidrelétricas e a construção de estradas têm trazido impactos negativos.

O ancião e chefe Innu Georges-Ernest Gregoire afirmou hoje à Survival International, “Os caribous (renas) são centrais para a nossa cultura, nossa crença espiritual e para a nossa sociedade como caçadores na nossa terra natal, Nitassinan [península do Quebec e do Labrador], por milhares de anos”.

“Porém, todos os projetos de ‘desenvolvimento’ industrial que foram impostos à nossa terra nos últimos quarenta anos, sem dúvida, têm tido um impacto acumulativo no tamanho do rebanho de renas. E é por isso que necessitamos controle sobre os nossos territórios e recursos, e devemos estar envolvidos como iguais nas decisões que afetam as nossas terras e os animais que aí vivem.”

Outro Innu, Alex Andrew, disse, “Os nossos anciões dizem que os animais serão os primeiros a sentir os efeitos desse dano. O ciclo da cadeia alimentar será quebrado e muitos sofrerão no final.”

“Tanto desenvolvimento como hidrelétricas, mineração, estradas, desmatamento, serão adicionados ao dilema da sobrevivência dos animais.”

O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse hoje, “Se nós realmente nos importamos com o real impacto que a natureza tem em nós e vice-versa, em vez de somente observá-la na televisão, é hora de começarmos a escutar os povos indígenas. Eles sabem o que falam. Para os Innu, as renas não são importantes somente no Natal."