Homens Guarani

Homens Guarani
© João Ripper/Survival

Um homem Guarani de 25 anos morreu de seus ferimentos na sequência de um ataque violento, alegadamente por homens armados empregados por fazendeiros brasileiros.



Teodoro Ricardi ficou fatalmente ferido e morreu ao lado de uma estrada em Mato Grosso do Sul, estado do centro-oeste, nesta terça-feira.



Ele tinha sido apunhalado sete vezes e seu corpo estava coberto de contusões.



O ataque ocorreu perto da fazenda São Luiz, de onde duas testemunhas Guarani disseram que viram homens correndo para a floresta após o incidente.



A fazenda ocupa terras ancestrais dos Guarani. A comunidade de Teodoro, Y’poi, tem estado cercada desde que reocupou parte de suas terras em 2010.


Os Guarani estão presos pelos fazendeiros, que estão restringindo o acesso a assistência médica aos índios.


Um Guarani de Y’poi disse à Survival International, ‘Nós estamos sendo perseguidos. Somos tratados como animais, matados e jogados na estrada.’

Indios Guarani da comunidade de Y’poi, em Mato Grosso do Sul, Brasil.

Indios Guarani da comunidade de Y’poi, em Mato Grosso do Sul, Brasil.
© CIMI MS/Survival

Os Guarani de Mato Grosso do Sul estão desesperadamente tentando recuperar uma parte de seus territórios ancestrais, face à amarga e violenta resistência dos fazendeiros ricos e donos de plantações de soja e cana-de-açúcar.



O Diretor da Survival, Stephen Corry, disse hoje, ‘Os Guarani já sofreram demais antes do assassinato de Teodoro aumentar a sua dor. Sua morte, como outros antes dele, poderia ter sido evitada se o governo brasileiro permitisse que os Guarani vivessem na terra que é de fato seu território por direito.’


Em 2009, a Alta Comissária para os Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, ficou chocada com a luta Guarani, descrevendo a tribo como ‘incrivelmente invisível’.