Declaração da Survival International sobre o assassinato do estadunidense John Allen Chau pelo povo Sentinelese, Ilhas Andamão

Este membro do povo Sentinelese foi fotografado atirando flechas contra um helicóptero que foi enviado para monitorar o povo após o tsunami de 2004. Os Sentinelese deixam claro há tempos que forasteiros não são bem-vindos e que eles desejam ser deixados em paz.

Este membro do povo Sentinelese foi fotografado atirando flechas contra um helicóptero que foi enviado para monitorar o povo após o tsunami de 2004. Os Sentinelese deixam claro há tempos que forasteiros não são bem-vindos e que eles desejam ser deixados em paz.

© Indian Coastguard/Survival

Um homem estadunidense, supostamente um missionário, foi morto por membros do povo Sentinelese nas Ilhas Andamão, na Índia. O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse hoje:

“Esta tragédia nunca deveria ter acontecido. As autoridades indianas deveriam estar garantindo a proteção dos Sentinelese e sua ilha para a segurança tanto do povo quanto dos forasteiros.

“Em vez disso, há alguns meses as autoridades levantaram uma das restrições que estava protegendo a ilha do povo Sentinelese de turistas estrangeiros, o que enviou exatamente a mensagem errada e pode ter contribuído para este terrível evento.

“Não é impossível que os Sentinelese tenham sido infectados por patógenos mortais aos quais não têm imunidade, com o potencial de exterminar toda a tribo.

“Os Sentinelese mostraram repetidas vezes que querem ser deixados em paz e seus desejos devem ser respeitados. A ocupação colonial britânica das Ilhas Andamão dizimou os povos que ali viviam, acabando com milhares de indígenas, e apenas uma fração da população original agora sobrevive. Portanto, o medo que os Sentinelese sentem de forasteiros é muito compreensível.

“As terras das tribos isoladas devem ser protegidas. Eles são os povos mais vulneráveis ​​do planeta. Populações inteiras estão sendo dizimadas pela violência de estranhos que roubam suas terras e recursos, e por doenças como a gripe e o sarampo, às quais não têm resistência.

“Povos como os Sentinelese enfrentam uma catástrofe, a menos que suas terras sejam protegidas. Espero que esta tragédia atue como um alerta para as autoridades indianas para que evitem outro desastre e protejam adequadamente as terras tanto dos Sentinelese quanto de outros povos Andamão de futuros invasores”.

A pesquisadora sênior da Survival, Sophie Grig, trabalha em questões indígenas nas Ilhas Andamão há duas décadas e está disponível para entrevista. Por favor contate [email protected]