Os índios Yanomami falaram da sua preocupação profunda com os garimpeiros ilegais na sua terra

Os índios Yanomami falaram da sua preocupação profunda com os garimpeiros ilegais na sua terra

© Victor Englebert/Survival

Índios Yanomami do Brasil e da Venezuela se reuniram no mês passado na Venezuela para discutir os direitos indígenas e políticas nacionais. Funcionários do governo dos dois países, organizações indígenas e ONGs que trabalham com os Yanomami também compareceram.

Problemas de saúde e o impacto da mineração ilegal foram debatidos. Muitos Yanomami em ambos os países continuam a sofrer enormemente com os impactos de garimpeiros ilegais em suas terras.

Em uma carta aberta os Yanomami dizem que ‘A situação na fronteira do Brasil com a Venezuela é muito grave, muitos campos de garimpeiros ilegais são estabelecidas aqui e geram violência, epidemias, a destruição de nossas terras e a contaminação dos rios … não é possível gozar de boa saúde, se a nossa terra não está protegida.’

’Também é importante compreender que para uma boa saúde e a proteção de nossas terras, precisamos de ações conjuntas de ambos os governos, que incluem a participação indígena.’

Eles pedem que o território Yanomami na Venezuela seja demarcada, e plenamente reconhecida na Venezuela de acordo com a Constituição, que garante os direitos territoriais dos povos indígenas.

A carta expressa suas enormes preocupações sobre a intenção de ambos governos de abrir terras dos Yanomami e de outras tribos para a mineração em grande escala: ‘Exigimos ser consultados sobre esses projetos e declaramos que somos contra eles, porque eles ameaçam a nossa vida’.

Os Yanomami na reunião lembraram o massacre de 16 Yanomami por um grupo de garimpeiros em Haximu 20 anos atrás. Representantes das organizações Yanomami Horonami e Hutukara alertaram que isso poderia acontecer novamente, se os governos não colocam em prática as medidas adequadas para impedir a invasão de garimpeiros.

Em agosto, a ONU manifestou a sua profunda preocupação com a impunidade dos garimpeiros ilegais que cometem atos de agressão e violência contra os Yanomami.

Instou que a Venezuela realize uma investigação ‘exaustiva’ sobre os responsáveis por crimes violentos contra os Yanomami, e a tribo Yukpa do oeste da Venezuela, e que os puna adequadamente.

O relatório da ONU afirma que a violência contra os Yukpa nas mãos de latifundiários é uma consequência do fracasso do governo de demarcar as terras da tribo, e insta que o governo acelere a demarcação de seus territórios.