Mulher yanomami. A Survival apelou ao Secretário- Geral da ONU para discutir a situação dos Yanomami e outros índios do Brasil com a Presidente Rousseff.

Mulher yanomami. A Survival apelou ao Secretário- Geral da ONU para discutir a situação dos Yanomami e outros índios do Brasil com a Presidente Rousseff. © Victor Englebert/Survival

Survival International apelou ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, para discutir a situação dos povos indígenas do Brasil com a Presidente Dilma Rousseff. 



Isto segue o fracasso do governo brasileiro de implementar muitas recomendações feitas pelo relator especial da ONU para os povos indígenas, após sua visita ao Brasil em 2008.

Como parte de uma turnê latino-americana, Ban Ki-moon visitará o Brasil no final desta semana, onde deve se reunir com a Presidente.


Espera-se que Ban Ki-moon pedirá à Presidente Dilma Rousseff que tome medidas para proteger as terras dos índios isolados vulneráveis, e tribos como os
 Guarani, Awá e Yanomami, e discutirá o impacto das hidrelétricas e outros grandes 
projetos de infra-estrutura sobre os povos indígenas.



Os Guarani sofrem altos níveis de violência nas mãos de fazendeiros e a tribo 
tem uma das maiores taxas de suicídio do mundo. Grande parte de sua terra ancestral foi roubada e está sendo usada para a produção de biocombustíveis.



A sobrevivência dos Awá, uma das últimas tribos remanescentes de caçadores-coletores nômades no Brasil, está em risco, a medida que sua floresta está sendo derrubada a um ritmo alarmante, e eles não conseguem encontrar caça suficiente para se sustentar.



A saúde dos índios Yanomami está sofrendo conforme milhares de garimpeiros estão operando ilegalmente na sua terra e seu sistema de saúde está sendo submetido a manipulação política.



Survival instou Ban Ki-moon a discutir com a Presidente Rousseff a importância de proteger os índios isolados que vivem próximo das hidrelétricas de Belo Monte e do Rio Madeira, e de suspender a construção das barragens até que sua proteção possa ser garantida.


No mês passado, o governo brasileiro deu o sinal verde para a construção da hidrelétrica de Belo Monte apesar da feroz oposição dos povos indígenas e uma 
recomendação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos que o
 projeto seja suspenso até que os índigenas tenham seus direitos respeitados.



O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse hoje, ‘Visto que o Brasil procura desempenhar um papel maior na ONU, deve mostrar ao mundo que respeita as leis e normas internacionais que assinou, especialmente aquelas relacionadas aos grupos menores e mais vulneráveis na sociedade.’