Querida humanidade,

Governos, grandes organizações de conservação ambiental e algumas das empresas mais poluentes do mundo estão promovendo um perigoso plano. Dizem que ele vai ajudar a resolver tanto a crise climática quanto a destruição da biodiversidade, mas não vai.

Durante uma reunião de alto escalão que ocorrerá dentro de alguns dias em Genebra, governos estão se preparando para firmar um plano que terá um impacto dramático para todos nós.

Eles querem transformar 30% do planeta nas chamadas “Áreas Protegidas”. Este plano, conhecido como o plano dos 30%, seria o maior roubo de terras da história. Envolveria transformar vastas áreas de terras de povos indígenas em parques e reservas nacionais militarizadas, como já ocorre em países da África e Ásia, onde despejos, assassinatos, tortura e estupros são comuns.

Ao em vez de combater as verdadeiras causas da crise climática e atacar os mais responsáveis – o crescente consumo excessivo e a exploração de recursos naturais com fins lucrativos, ambos liderados pelo Norte Global – essas medidas fazem os povos indígenas sofrerem as consequências.

Os povos indígenas são aproximadamente 6% da população mundial, mas suas terras representam 80% dos lugares mais biodiversos do planeta. Eles, que melhor protegem a natureza e são os menos responsáveis ​​pela crise climática, são os que vão perder mais com o plano dos 30%.

Grandes organizações de conservação ambiental, conhecidas por casos flagrantes de violação de direitos humanos, como o WWF e a Wildlife Conservation Society, apoiam o plano dos 30%. Eles ganharão milhões de dólares administrando as “Áreas Protegidas” e usando as terras roubadas para vender créditos de carbono – um esquema que permite que empresas poluidoras continuem poluindo enquanto fingem que são “ecológicas”. Não é à toa que as maiores corporações do mundo também apoiam esse plano. Isso só protegerá os interesses das elites que mais poluem, enquanto o clima, a biodiversidade e vidas das pessoas mais vulneráveis ​​do mundo continuam sendo destruídos.

Como Kipchumba Rotich, indígena do povo Sengwer (Quênia), disse: “O plano dos 30%… veremos mais indígenas perderem suas casas, veremos mais indígenas perderem seus meios de subsistência, veremos mais indígenas perderem suas vidas – milhões de pessoas em todo o mundo”.

Isso não é apenas um desastre para os povos indígenas, mas para toda a humanidade. Estudo após estudo mostram que respeitar os direitos territoriais dos povos indígenas é a melhor maneira de proteger nosso planeta.

As negociações para o estabelecimento da meta de 30% estão em um momento crucial – mas ainda não é tarde demais para parar esse perigoso plano. A Survival declarou o dia 2 de março como o “Dia da Diversidade Humana” – para chamar a atenção global para o impacto devastador do plano dos 30% em toda a humanidade. Sem diversidade humana não pode haver biodiversidade.

O plano dos 30% destruiria milhões de vidas indígenas e de outras populações tradicionais e permitiria que os maiores poluidores do mundo continuem poluindo. Não podemos permitir que isso aconteça. No Dia da Diversidade Humana, pedimos a toda a humanidade que se una para agir pelo futuro de todos nós .

Por favor, mande um e-mail para aqueles que estão negociando este perigoso plano. Para mais informações, siga a hashtag #CaraHumanidade nas redes sociais.

Atenciosamente,
Survival International