Índios brasileiros bloqueiam ferrovia sobre caos da saúde

A ferrovia Carajás ameaça a saúde e vidas da tribo mais ameaçada do mundo.

A ferrovia Carajás ameaça a saúde e vidas da tribo mais ameaçada do mundo.

© Sarah Shenker/Survival

Índios de sete tribos no Brasil bloquearam uma ferrovia controversa, exigindo reformas no serviço de saúde indígena, que tem caído em um estado de caos.

Aproximadamente 150 índios ocuparam o lugar do protesto por mais de uma semana, pedindo a substituição de alguns diretores do órgão do governo responsável pela sua saúde.

A ferrovia de Carajás, da empresa brasileira Vale, passa ao lado do território da tribo mais ameaçada do mundo, os Awá. Ela transporta minério de ferro da enorme mina da Vale para o Oceano Atlântico.

Alguns dos trens mais longos do mundo passam ao lado da terra dos Awá.

Alguns dos trens mais longos do mundo passam ao lado da terra dos Awá.

© Survival International

Os Awá dizem que a saúde e a vida deles estão em risco porque os trens – alguns dos mais longos do mundo – espantam os animais dos quais eles dependem para a sua sobrevivência.

Agora, a Vale está planejando dobrar sua ferrovia, apesar da oposição dos Awá. Vinte Awá estão participando no atual protesto.

As vidas dos Awá mudaram drasticamente quando o Projeto Grande Carajás da década de 1980, incluindo a ferrovia e a mina, expôs sua terra a invasores que massacraram famílias Awá e continuam a destruir sua floresta.

A Vale está obrigada a pagar compensação ao governo para o atendimento de saúde dos Awá, mas relata-se que muito do dinheiro não tem chegado às aldeias.

Em maio deste ano, uma mulher e mãe de cinco crianças morreu de leishmaniose, uma doença que é facil de tratar com um atendimento adequado.

No ano passado, os Awá e outros indígenas bloquearam a ferrovia em protesto contra os planos do governo de enfraquecer seus direitos territoriais.