Guarani celebram seu avanço territorial

Guarani celebram seu avanço territorial
© Survival

Uma comunidade Guarani no Brasil está comemorando depois que o governo reconheceu a sua terra como indígena, para seu uso exclusivo.

Os 170 membros da comunidade Pyelito Kue/M’barakay, vivendo em uma ‘ilha’ entre um rio e uma plantação de soja, agora podem permanecer em parte de sua terra ancestral até que o processo formal de demarcação seja finalizado.

Um porta-voz da comunidade disse a Survival, ‘Estamos muito contentes. Estamos lutando pela nossa terra, porque nos pertence. O meu avô está enterrado aqui. Os fazendeiros nos ameaçam mas não vamos desistir; vamos ficar fortes porque precisamos desta terra’.

Outro homem Guarani disse ‘Este é o primeiro passo. É uma conquista. Precisamos da nossa terra para poder plantar, e para que nossa comunidade possa crescer’.

Este sucesso vem após uma declaração internacional dos Guarani que eles prefeririam serem mortos do que serem removidos de suas terras.

Os Guarani têm sofrido uma série de ataques brutais, desde que reocuparam esta parte do seu território, em agosto de 2011.

As terras dos Guarani foram ocupadas por fazendeiros na década de 1970, obrigando os índios a viver em condições desumanas em reservas superlotadas.

Os Guarani são forçados a atravessar um rio perigoso a fim de obterem alimentos.

Os Guarani são forçados a atravessar um rio perigoso a fim de obterem alimentos.
© MPF/Survival

Esta violência e intimidação por pistoleiros dos fazendeiros está forçando os Guarani a fazer uma travessia usando um cabo estreito em um rio perigoso, a fim de se locomoverem para obterem alimentos.

Os Guarani estão agora pedindo ao governo para concluir o processo de demarcação o mais rápido possível e permitir-lhes viver em toda a sua terra ancestral onde podem plantar e não mais serem expostos ao risco constante de violência.

A Survival está pressionando o governo brasileiro para mapear todas as terras Guarani, conforme é legalmente obrigado a fazer.