Grande parte das terras dos Guarani foi roubada para a criação de gado.

Grande parte das terras dos Guarani foi roubada para a criação de gado.
© F. Watson/Survival

Uma comunidade de índios Guarani no Brasil retomou parte de sua terra ancestral, num ato desesperado, por estarem vivendo ao lado de uma rodovia por mais de um ano e meio.

Os Guarani retornaram à sua terra na semana passada, não mais dispostos a suportar as terríveis condições de vida, às quais têm sido sujeitos na beira da estrada.

Os índios da comunidade Laranjeira Ñanderu tiveram suas terras roubadas na década de 1960, para dar lugar a fazendas de gado. Eles retornaram à sua terra em 2008, mas foram expulsos novamente em setembro de 2009. Logo depois, sua aldeia foi brutalmente atacada e incendiada.

Desde então, os Guarani têm vivido sob coberturas de lona, com pouco acesso a água potável, comida ou cuidados médicos, e sujeitos a intenso calor e inundações, ao lado de uma rodovia. Grandes caminhões e carros barulhentos passavam em alta velocidade dia e noite, e um Guarani foi atropelado e morto.

Faride, porta-voz da comunidade, disse a pesquisadores da Survival antes da retomada: ‘Laranjeira Ñanderu era a terra do meu pai, do meu avô, do meu bisavô … Nós precisamos voltar para trabalhar e viver tranquilos naquele lugar … esse é o nosso sonho’.

A comunidade está pedindo ao governo para proteger sua terra oficialmente para que não seja despejada novamente.

Os Guarani têm uma conexão espiritual com sua terra, de que dependem para seu bem-estar físico e mental.

Após a perda de quase todas as suas terras para fazendas e plantações de soja e cana-de-açúcar, milhares de Guarani vivem em reservas superlotadas, e alguns estão acampados na beira de rodovias.

Algumas lideranças Guarani, que comandaram as retomadas das terras de suas comunidades, como o Guarani internacionalmente renomado Marcos Veron, foram assassinados.

O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse hoje, ‘Não é nenhuma surpresa que, sendo obrigados a suportar tais condições precárias por tanto tempo, os Guarani tomaram a questão em suas próprias mãos e voltaram para sua terra. Isso certamente deveria servir como um alerta para as autoridades para proteger a terra e acabar com a ameaça iminente de outro despejo. É o mínimo que os Guarani merecem’.

Baixe o relatório da Survival, sobre a situação dos Guarani, enviado às Nações Unidas no ano passado (pdf, 2.3 MB).