Homens Awá caminhando por uma estrada feita por madeireiros.

Homens Awá caminhando por uma estrada feita por madeireiros.
© Uirá Garcia

Madeireiros têm invadido uma comunidade de índios Awá isolados, onde um dos seus membros teria sido queimado vivo.

Membros da tribo Guajajara, a qual também habita a área, afirmaram que encontraram os restos carbonizados de uma criança Awá, após um ataque de madeireiros, de acordo com a ONG CIMI.

Clovis Guajajara, que às vezes avista os Awá enquanto caça na floresta, reportou que não os vê desde tal ataque, e acredita que tenham fugido.

A Fundação Nacional do Índio (FUNAI) declarou à Survival International que está conduzindo uma investigação de acordo com os relatos, e que a morte da criança ainda não foi confirmada.

Acredita-se que pelo menos 60 Awá isolados vivam nessa região do nordeste da Amazônia brasileira, sendo eles uma das últimas tribos caçadoras-coletoras nômades no Brasil. Os Awá dependem de sua floresta para viver, porém, um grande número de madeireiros tem invadido as suas terras, as quais agora sofrem um dos maiores níveis de desmatamento da Amazônia.

Mais de 30% de um dos territórios dos Awá já foi destruído.

Luis Carlos Guajajara disse hoje à Survival, ‘Tem Awá isolados na área e os madeireiros estão pressionando. A presença dos madeireiros é perigosa. Os índios estão com medo.’

Os Awá recentemente sofreram uma série de ataques brutais, e os madeireiros avisaram que os índios seriam mortos caso entrassem na sua floresta.

A Survival International está instando o governo brasileiro a expulsar os invasores das terras Awá antes que a devastação coloque a vida dos índios ainda mais em risco.