Email urgente

Salve a última floresta dos Ayoreo

O último povo indígena isolado fora da Amazônia na América do Sul está resistindo em uma ilha de floresta cada vez menor. Escavadeiras estão avançando rapidamente sob as terras dos Ayoreo, destruindo a floresta para dar lugar à criação de gado.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos exigiu que o Estado paraguaio proteja o território dos Ayoreo, mas grandes fazendeiros continuam derrubando florestas, abrindo estradas, cercando àreas e até mesmo construindo enormes reservatórios de água para o gado.

Isso tudo é ilegal, mas o governo mostra pouco interesse em fazer a lei ser cumprida. A situação desse povo indígena, conhecido como Ayoreo-Totobiegosode (“gente do lugar onde há muitos porcos do mato ”), agora é crítica.

A maioria dos indígenas Ayoreo-Totobiegosode foram contatados por missionários há algumas décadas, em uma série de “caçadas” humanas nas quais vários Ayoreo foram mortos. Os sobreviventes foram forçados a sair da floresta, mas alguns de seus parentes conseguiram permanecer isolados e desejam continuar morando em sua floresta.

“Sem a proteção da nossa terra, os [parentes isolados] que decidiram ficar na floresta, muito em breve não vão poder mais sobreviver na floresta”, diz Orojoi, líder Totobiegosode.

Por mais de 25 anos, a Survival tem feito campanha pela reivindicação das terras dos Ayoreo, e algumas partes do território foram protegidos.

Precisamos que aliados em todo o mundo pressionem as autoridades paraguaias a cumprir a lei e a proteger o território dos Ayoreo.

Se não houver uma ação imediata, o futuro dos Ayoreo-Totobiegosode isolados será desolador.

Envie um email para o vice-presidente do Paraguai e para o chefe de Assuntos Indígenas, pedindo-os para agir agora.

Emails enviados:  Ajude-nos a alcançar 15,000!



para: Presidente Hugo Alberto Velázquez Moreno e Senhor Edgar Gustavo Olmedo Silva

email:[email protected][email protected]

CC email addresses: [email protected][email protected][email protected][email protected]

Excelentíssimo Senhor Presidente Hugo Alberto Velázquez Moreno e Senhor Edgar Gustavo Olmedo Silva,

Como sabem, o território do povo indígena Ayoreo-Totobiegosode (conhecido como PNCAT) deveria ter sido demarcado há décadas, conforme estabelece a lei internacional, a legislação paraguaia e sua própria Constituição.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos também exigiu que o Estado paraguaio proteja o território dos Ayoreo. No entanto, o Estado não tem cumprido com a sua responsabilidade e o centro de sua terra continua a ser ocupado por cinco empresas agropecuárias (Yaguareté Porã S.A., Carlos Casado S.A., River Plate S.A., BBC S.A. e Itapoti S.A.), o que constitui um perigo extremo para a sobrevivência dos indígenas isolados Ayoreo.

A restituição das terras aos seus legítimos proprietários e a garantia da sobrevivência dos últimos indígenas isolados do Paraguai, além de ser uma obrigação do Estado, também ajudará o país a combater o desmatamento descontrolado. Os indígenas isolados são os melhores guardiões da natureza. Ao devolver suas terras, vocês salvarão as vidas desses indígenas e sua floresta.

Por favor, peço que ajam com pressa para devolver as terras ao povo Ayoreo-Totobiegosode e expulse todos os invasores de seu território.

Atenciosamente,